Imperatriz-Ma,


 

   QUEM SOMOS

   FALE CONOSCO

   ACESSO RESTRITO

   GALERIA DE FOTOS

   SOLICITAR ORÇAMENTO

   INFOPESCA

   WEBMAIL


   ESPORTE

   ACESSÓRIOS

   CAMPING

   LAZER

   VESTUÁRIO

   TROFÉUS

   GINASTICA

   PESCARIA

   MERGULHO

   CLUBES DE FUTEBOL




.::Infopesca::.

               




Piau-Flamengo



 
Nome Comum

Piau-flamengo, Aracu-pinima.

Nome científico

Leporinus fasciatus; Leporinus aff.affinis.

Família

Anastomidae, de peixes de água doce com boca pequena e dentes incisivos.

Características

Corpo alongado e afusado de coloração amarela com oito ou nove faixas escuras transversais sobre o corpo (L.fasciatus) e 10 a 13, algumas não muito definidas, em L.aff.affinis, ambas com três faixas na cabeça que tem a parte inferior avermelhada. Boca pequena dotada de dentes incisivos.
As nadadeiras são amarelas. Podem atingir 30 a 35Cm de comprimento.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde são encontrados nas margens dos rios em locais de fundo arenoso e com pedras, onde se alimentam de insetos, frutos e sementes.

Equipamento

Varas leves, linhas 8 a 10 Lb, anzóis pequenos e chumbadas leves.

Iscas

Naturais: Insetos, Minhoca, Milho, queijo.


Jaú

 
Nome Comum

Jaú

Nome científico

Paulicea luetkeni

Família

Pimelodidae, peixes siluriformes desprovidos de escamas.

Características

O corpo curto e grosso em relação ao comprimento e com a cabeça grande e achatada é de coloração parda esverdeada sobre o ventre branco variando do claro na lateral ao escuro no dorso, onde quando mais novo apresenta pintas claras espalhadas. Um dos maiores silurídeos da água doce, pode medir 1,5m e pesar mais de 120 quilos.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica, Araguaia-Tocantins e Prata, onde vivem no canal dos rios e nos poços abaixo das cachoeiras, alimentando-se pequenos peixes.

Equipamento

Vara pesada com linhas acima de 40Lb, anzóis de maiores que 9/0, empatados em aço flexível e chumbadas conforme a necessidade do local, normalmente acima de 200 Gramas.

Iscas

Somente naturais, como peixes de escama, Tuviras, Muçuns e Minhocuçu.


Pacu-comum

 
Nome Comum

Pacu-comum, Pacu-branco, Pacu-manteiga

Nome científico

Mylossoma spp., Myleus spp., Metynnis spp. Myloplus spp.

Família

Characidae, de peixes com o corpo lateralmente deprimido e maxilar inferior proeminente.

Características

Tanto os do gênero Metynnis (21 espécies), quanto os do gênero Mylossoma (5 espécies) apresentam o corpo alto e comprimido lateralmente em forma arredondada ou ovalada, coberto de pequenas escamas. A cabeça e a boca dotada de fortes dentes molariformes dispostos em uma ou duas fileiras, são pequenas e as nadadeiras dorsal e anal estão situadas na parte posterior do corpo. A coloração depende de cada espécie e muitas vezes da água onde vivem. Espécies como o Pacu-borracha, apresentam manchas avermelhadas pelo corpo.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica, Araguaia-Tocantins, Prata e São Francisco, onde algumas espécies serão encontradas em rios, lagos e igapós, e outras em corredeiras e pedrais, alimentando-se de frutos, sementes, algas e também de crustáceos e moluscos.

Equipamento

Pode ser pescado com vara de bambu com 4 a 5m de comprimento, linha 0,50 e anzóis fortes, batendo-se a isca de modo a reproduzir o som de uma fruta caindo. Com molinete ou carretilha, varas média ou a, linhas 17 a 25Lb e anzóis fortes.

Iscas

Caranguejos, Minhocuçus, coquinhos, pedaços de jenipapo, bolinhas de massa de farinha.


Surubim-Chicote

 
Nome Comum

Surubim-chicote, Surubim-lenha, Peixe-lenha.

Nome científico

Sorubimichtthys planiceps.

Família

Pimolidae, de peixes siluriformes desprovidos de escamas.

Características

Corpo de coloração cinza-escuro, muito alongado e roliço, cabeça grande e achatada com focinho arredondado, mais larga que o restante do corpo dando-lhe a aparência de uma flecha quando visto de cima. Boca com maxilar superior maior que a mandíbula, que mesmo quando fechada deixa aparecer uma placa com diminutos dentes. Apresenta uma faixa clara em toda extensão do corpo, da nadadeira peitoral à caudal. O dorso e as nadadeiras são cobertos por pequenas manchas escuras. Pode atingir até 1,5m de comprimento.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde vivem nos canais dos rios, alimentando-se principalmente de peixes.

Equipamento

Varas médias/pesadas, linhas 20 a 30Lb, anzóis 4 a 8/0, encastoados em aço flexível.

Iscas

Minhocuçus, Tuviras e outros peixes, inteiros ou em pedaços.


Cachara ou Surubim

 
Nome Comum

Cachara, Surubim

Nome científico

Pseudoplatystoma fasciatum

Família

Pimolidae, de peixes siluriformes desprovidos de escamas.

Características

Corpo alongado e roliço sem escamas (de couro), de coloração acinzentada escura no dorso clareando em direção ao ventre onde pode chegar ao branco, coberto de faixas verticais irregulares pretas, que vão da região dorsal até pouco abaixo da linha lateral. Pode apresentar também manchas arredondadas entre estas faixas, cabeça grande e achatada com barbilhões sensoriais.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica, Araguaia-Tocantins e Prata, onde vivem nos poços e canais dos rios, praias e igapós, se alimentando de pequenos peixes de escamas e camarões.

Equipamento

Vara média pesada, linhas 25 a 40lb, Anzóis 6 a 8/0 empatados em aço flexível.

Iscas

Naturais: Pequenos peixes de escamas, pedaços de peixe, Minhocuçus e Tuviras.
Artificiais: Quando no "visual", podem ser pescados com plugs de meia água ou fundo.


Pintado

 
Nome Comum

Pintado.

Nome científico

Pseudoplatystoma corruscans.

Família

Pimelodidae, de peixes siluriformes desprovidos de escamas.

Características

O corpo alongado e roliço sem escamas (de couro), de coloração acinzentada escura no dorso clareando em direção ao ventre onde pode chegar ao branco é coberto de máculas escuras de diferentes tamanhos e que também aparecem nas nadadeiras. Cabeça grande e achatada com barbilhões sensoriais. Pode atingir mais de 1,20m de comprimento e pesar mais de 50 quilos.

Distribuição/ocorrência

Bacias do Prata e São Francisco, onde vivem no canal dos rios, nas praias, nos lagos e nos igapós, se alimentando de pequenos peixes.

Equipamento

Vara media/pesada, linhas 20 a 40Lb e anzóis 7 a 9/0, empatados em aço flexível.

Iscas

Principalmente peixes de escamas e Minhocuçus. Eventualmente quando "no visual" podem ser pescados com iscas artificiais de meia água ou fundo.


Apapá

 
Nome Comum

Apapá, Sardinhão, Dourada/Herring.

Nome científico

Apapá amarelo, Dourada ou Sardinhão, Pellona Castelnaeana; Apapá branco, P.flavipinnis.

Família

Clupeidae, de várias espécies de Sardinhas de água doce.

Características

Corpo alongado, comprimido lateralmente e coberto de escamas que lhe dão coloração peculiar, boca pequena voltada para cima e em placas, que em muito dificultam as ferradas. O Apapá amarelo pode atingir até 60Cm de comprimento e o Apapá branco 50.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde são encontrados em rios, lagos e matas inundadas. Alimentam-se de pequenos peixes e crustáceos.

Equipamento

Varas de ação média rápida ou rápida facilitam a ferrada, assim como linhas de pouca elasticidade da ordem 10 a 12Lb. Anzóis pequenos ou médios em linha sem chumbo.

Iscas

Naturais: Peixinhos ou pequenos pedaços de peixe.
Artificiais: Plugs de superfície ou meia água, colheres, streamers e flies


Pirarara

 
Nome Comum

Pirarara.

Nome científico

Phractocephalus hemioliopterus.

Família

Pimelodidae, de peixes siluriformes desprovidos de escamas.

Características

Corpo curto e grosso com enorme cabeça dotada de forte cobertura óssea que vai até o início da nadadeira dorsal e barbilhões sensoriais característicos da família. Talvez seja o mais colorido dos silurídeos e sua coloração varia do castanho esverdeado no dorso até a linha lateral, flancos amarelo esmaecido e ventre esbranquiçado. Nadadeiras dorsal e caudal alaranjadas tendendo ao vermelho. Pode atingir 1,5m de comprimento e pesar mais de 100Kg.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde vivem na confluência e nos poços dos rios abaixo das corredeiras protegidos pelas árvores e troncos ali deixados pela correnteza, alimentando-se de peixes, frutos e crustáceos.

Equipamento

Varas pesadas, linhas 40 a 80Lb e anzóis 8/0 a 14/0.

Iscas

Peixes inteiros ou em pedaços ( Traíras, Piaus e Piranhas).


Cachorra

 
Nome Comum

Cachorra, Peixe-Cachorro, Pirandirá.

Nome científico

Hydrolycus scomberoides - Raphiodon vulpinus

Família

Cynodontidae.

Características

Corpo de coloração prateada e diminutas escamas, achatado e alongado. Boca oblíqua com um par de presas na mandíbula inferior que ultrapassam o maxilar superior quando a boca está fechada. Mancha preta alongada junto ao opérculo.

Distribuição/ocorrência

Hydrolycus scomberoides - Raphiodon vulpinus ,Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, Raphiodon vulpinus, Bacia do Prata. Vivem em canais, praias de rios, lagos e igapós, alimentando-se de quaisquer outros peixes.

Equipamento

Varas média e média pesada, linhas 17, 20, 25lb, anzóis nº 4 a 6/0, empatados em arame flexível de 20 a 25cm de comprimento.

Iscas

Naturais: Pequenos peixes, pedaços de peixes e Tuviras.
Artificiais: Plugs de superfície ou meia água, colheres e streamers.


Mandi

 
Nome Comum

Mandi, Bagre.

Nome científico

Pimelodus spp.

Família

Pimelodidae, de peixes siluriformes desprovidos de escamas.

Características

Corpo alto no início da nadadeira dorsal, afunilando em direção à cabeça e à nadadeira caudal é de coloração variada conforme a espécie. Acúleos fortes e agudos nas nadadeiras dorsal e peitoral são comuns a todas elas. O Pimelodus maculatus (figura) é de coloração parda alvacenta clareando em direção ao ventre branco. Apresenta várias fileiras de manchas escuras irregulares ao longo do corpo e pintas também escuras nas nadadeiras pode atingir 50Cm de comprimento.
Nas Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, vive o P. blochii, de formato semelhante mais de coloração amarelada e sem pintas ou manchas e de tamanho menor atingindo no máximo 30Cm.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica, Araguaia-Tocantins( P.blochii), Prata (P. maculatus, P. ornatus) e São Francisco, onde se alimentam de pequenos peixes, invertebrados, frutos e sementes.

Equipamento

Varas leves ou médias, linhas 10 a 14Lb e anzóis até 2/0.

Iscas

Pedaços de queijo, peixe ou minhocas.


Pacu-Caranha

 
Nome Comum

Pacu-caranha

Nome científico

Piaractus mesopotamicus

Família

Characidae, de peixes com o corpo lateralmente deprimido e maxilar inferior proeminente.

Características

Corpo romboidal e comprimido lateralmente com coloração variando do castanho ao cinza escuro sendo o ventre sempre mais claro. Boca forte com dentes molariformes. Pode atingir 70Cm de comprimento e pesar até 20 quilos.

Distribuição/ocorrência

Bacia do prata, onde vivem próximo às margens dos rios, principalmente sob árvores frutíferas, alimentando-se dos seus frutos.

Equipamento

Pode ser pescado com vara de bambu com 4 a 5m de comprimento, linha 0,60 e anzóis fortes, batendo-se a isca de modo a reproduzir o som de uma fruta caindo. Com molinete ou carretilha, varas média ou média pesada, linhas 17 a 25Lb e anzóis fortes.

Iscas

Caranguejos, Minhocuçus, filés de peixes ( principalmente Curimba azedo), coquinhos, jenipapo e bolinhas de massa de farinha.


Corvina

 
Nome Comum

Corvina, Pescada do Piauí

Nome científico

Plagioscion spp.

Família

Scianidae

Características

Corpo coberto de escamas de coloração prateada-azulada com boca obliqua dotada de dentes recurvados e ponteagudos. Pode atingir mais de 50cm de comprimento.

Distribuição/ocorrência

A Plagioscion spp é a representante na água doce de uma família predominantemente marinha. É encontrada nas bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins. Foi disseminada através de sucessivos peixamentos nas bacias do Prata, do São Francisco e Açudes do Nordeste, onde vivem em grandes cardumes no fundo ou na meia água, alimentando-se de pequenos peixes e camarões.

Equipamento

Varas médias de ação rápida propiciam melhores ferradas. linhas 14, 17 ou 20lb e anzóis 1 a 3/0.

Iscas

Naturais: Pequenos peixes, camarões e Tuviras.
Artificiais: Plugs de meia água e Jigs.


Aruanã

 
Nome Comum

Aruanã

Nome científico

Osteoglossum bicirrhosum

Família

Osteoglossidae, de peixes caracterizados por escamas duras e ósseas como o Pirarucu.

Características

Corpo achatado lateralmente, cinzento-prateado no dorso e ventre amarelado coberto de grandes escamas. Boca em abertura quase vertical e mento com dois barbilhões curtos. Nadadeiras dorsal e anal na parte posterior do corpo. Pode atingir 1m de comprimento e pesar até 3kg. Na época da desova suas escamas adquirem coloração avermelhada.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde vivem em lagos e igapós, caçando insetos (bezouros, aranhas etc...) muitas vezes saltando um metro fora da água para caçá-los.

Equipamento

Varas médias, linhas 12, 14 e 17lb e anzóis nº 2, 1 e 1/0.

Iscas

Naturais: Pequenos peixes, camarões e principalmente insetos.
Artificiais: Pequenos plugs de superfície ou meia água, streamers , colheres e flies.


Traíra

 
Nome Comum

Traíra, Lobó, Tararira.

Nome científico

Hoplias malabaricus.

Família

Erythrynidae.

Características

Corpo alongado e cilíndrico de coloração marrom ou preta com manchas irregulares mais claras e ventre esbranquiçado. Boca grande dotada de dentes caninos capazes de cortar como uma faca. As nadadeiras, características da espécie, são arredondadas à exceção da dorsal. Pode atingir até 6com de comprimento e pesar 3Kg.

Distribuição/ocorrência

Praticamente em qualquer espelho d'água do Brasil inteiro, onde solitários são encontrados entre as plantas aquáticas e troncos submersos em lagos, lagoas, brejos, igapós, córregos e igarapés, alimentando-se principalmente à noite de peixes, batráquios e insetos.

Equipamento

Varas médias, linhas 10 a 20Lb, anzóis nº 1/0 a 3/0 ,de hastes compridas ou empatados em aço flexível.

Iscas

Naturais: Peixes inteiros ou em pedaços.
Artificiais: Plugs de superfície ou meia água, Colheres e Spinners


Dourado

 
Nome Comum

Dourado

Nome científico

Salminus maxillosus, Salminus brasiliensis

Família

Characidae, de peixes com o corpo lateralmente deprimido e maxilar inferior proeminente.

Características

Embora bastante semelhantes o Salminus brasiliensis é o maior da espécie e apresenta uma coloração dourada com reflexos avermelhados enquanto o Salminus maxillosus é dourado com as nadadeiras alaranjadas. As escamas apresentam um filete negro no meio que no conjunto formam listras dessa cor no sentido longitudinal, do dorso até à linha lateral. As fêmeas podem alcançar 1m de comprimento e pesar mais de 20 quilos.

Distribuição/ocorrência

Bacia do Prata: Salminus maxillosus e Bacia do São Francisco: Salminus brasiliensis, onde vivem nas corredeiras e na boca de lagos principalmente durante a vazante, quando se alimentam de peixes de escamas, de couro e Tuviras.

Equipamento

Varas de média à pesada com linhas de 20 a 30lb e anzóis 6 a 8/0 empados em aço flexível.

Iscas

Naturais: Tuviras e outros pequenos peixes.
Artificiais: Plugs de superfície e meia água, colheres


Tucunaré

 
Nome Comum

Tucunaré (Açu, Paca, Pinima, Vermelho).

Nome científico

Cichla ocellarias e Cichla temensis.

Família

Cichlidae, Família de peixes teleósteos, perciformes, de água doce, da América do Sul, América Central e África.

Características

Existem 14 espécies conhecidas na Amazônia sendo cinco delas descritas (Cichla ocellaris, C. temensis, C. monoculus, C. orinocensis e C. intermedia) De maneira geral apresentam corpo alongado e um pouco alto de coloração amarelada-esverdeada com o dorso mais escuro e ventre branco. Conforme a espécie pode apresentar faixas escuras verticais ou manchas irregulares nos flancos além do característico ocelo sobre o pedúnculo da nadadeira caudal. Os pacas como o nome indica têm o corpo coberto de pequenas manchas brancas. Os Pitangas grande mancha vermelha sob a boca. Sem esquecer dos Azuis, talvez seja o peixe com a maior variação de cores da água doce. Podem atingir 1m de comprimento e pesar 15Kg.

Distribuição/ocorrência

Bacia Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde vivem nos lagos, baías, igapós e algumas vezes nas margens dos rios, principalmente junto aos barrancos. Foi disseminado em reservatórios espalhados pelas regiões Sudeste e Nordeste. Formam casais e se reproduzem em ambientes lênticos, construindo seus ninhos normalmente debaixo de troncos caídos.

Equipamento

Varas médias ou médias/pesadas, linhas 17 a 30Lb, anzóis nº 2 a 2/0.

Iscas

Naturais: Pequenos peixes e camarões.
Artificiais: Plugs de superfície ou meia água, Colheres, Spinners e Flies.


Piraíba

 
Nome Comum

Piraíba, Filhote, Piratinga, Pirananbu.

Nome científico

Brachyplathystoma filamentosum.

Família

Pimelodidae, de peixes siluriformes desprovidos de escamas.

Características

Peixe de grande porte, seguramente o maior dos silurídeos brasileiros, corpo acinzentado escuro acima da linha lateral e mais claro abaixo desta, cabeça e boca muito grandes com maxilar superior proeminente e barbilhões sensoriais. Pode ultrapassar 2m de comprimento e pesar mais de 150Kg. Quando menores que 50/60Kg, são chamados filhotes.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde vivem nos locais profundos dos rios, confluência destes ou em saídas de corredeiras.

Equipamento

Ultrapesado, linhas 150 a 200Lb, anzóis acima de 12/0.

Iscas

Peixes inteiros, principalmente Matrinxãs, Piaus e Piranhas.


Tilápia

 
Nome Comum

Tilápia.

Nome científico

Tilápia rendali, Oreochromis niloticus.

Família

Cichlidae, de peixes teleósteos, perciformes, de água doce, da América do Sul, América Central e África.

Características

Corpo um pouco alto e comprimido lateralmente comum às mais de 100 espécies dos gêneros Oreochromis, Sarotherodon e Tilápia. No Brasil encontramos a Oreochromis niloticus (Tilápia do Nilo), que pode pesar até 5Kg, Tilapia rendali (Tilápia rendali), Sarotherodon hornorum (Tilápia Zanzibar) e um híbrido desenvolvido em Israel para pisciculturas, a Saint-Peters.

Distribuição/ocorrência

Em quase todo o Brasil, onde foram disseminadas através de peixamentos. Conforme a espécie podem ser: herbívoras, onívoras ou fitoplanctófagas.

Equipamento

Varas de bambu ou telescópicas, linha 8 a 12Lb um pouco maior que o comprimento da vara, anzóis nº 12 a 20.
Varas leves ou medias/leves com molinete ou carretilha, bóias de arremesso.

Iscas

Naturais: Milho, capim, minhoca., larvas de insetos e massa de farinha.
Artificiais: Pequenos plugs de superfície ou meia água, spinners e flies.


Tambaqui

 
Nome Comum

Tambaqui.

Nome científico

Colossoma macropomum.

Família

Characidae, de peixes com o corpo lateralmente deprimido e maxilar inferior proeminente.

Características

Corpo romboidal de coloração castanho na metade superior e preta na inferior, podendo no entanto apresentar cores mais claras conforme a água onde vivem. Boca prognata pequena e forte com dentes molariformes. Pode atingir 90Cm de comprimento e pesar 30Kg.

Distribuição/ocorrência

Bacia Amazônica, onde durante a seca são encontrados nos rios de águas barrentas, desovando e vivendo sem se alimentar da gordura que acumularam. Os jovens ficam nos lagos se alimentando de zooplâncton. Na cheia entram nos igapós para se alimentar de frutos e sementes.

Equipamento

Varas medias/pesadas ou pesadas, linhas 20 a 30Lb, anzóis curtos nº 4 a 6/0, empatados em aço flexível.

Iscas

Frutas e sementes do local e Minhocuçus.


Trairão

 
Nome Comum

Trairão.

Nome científico

Hoplias lacerdae.

Família

Erythrynidae.

Características

Corpo alongado e cilíndrico de coloração marrom escuro quase preto no dorso, flancos mais claros até o ventre esbranquiçado. Boca grande dotada de afiados dentes caninos. As nadadeiras, a exceção da dorsal, são arredondadas. Pode atingir até 1m de comprimento e pesar 20Kg.

Distribuição/ocorrência

Bacia Amazônica e Rio Ribeira do Iguape, onde vivem à margem dos rios, dos lagos e das lagoas em áreas com vegetação ou galhos/troncos submersos, alimentando-se de peixes, batráquios e insetos.

Equipamento

Vara média/pesada, linhas 20 a 30Lb, anzóis nº 10 a 12/0 (grandes o bastante para ferrá-los por trás do mento) encastoados em aço flexível.

Iscas

Peixes inteiros ou em pedaços.


Bicuda

 
Nome Comum

Bicuda

Nome científico

Boulengerella spp.

Família

Ctenoluciidae.

Características

Corpo fusiforme e roliço coberto de escamas, nadadeira dorsal na parte posterior do corpo. Boca pontuda que lhe justifica o nome e dificulta as ferradas. Pode atingir 1m de comprimento e 6 kg de peso.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde é encontrada na superfície e meia - água em áreas de correnteza, boca de igarapés e lagos, alimentando-se de peixes.

Equipamento

Varas média e média pesada de ação rápida facilitam a ferrada, linhas 17 a 20lb e anzóis 3 a 5/0.

Iscas

Naturais: Pequenos peixes ou pedaços de peixes.
Artificiais: Plugs de superfície e meia água, colheres e spinners.


Matrinxã

 
Nome Comum

Matrinxã

Nome científico

Brycon sp.

Família

Characidae, de peixes com o corpo lateralmente deprimido e maxilar inferior proeminente.

Características

Corpo de coloração prateada, alongado e pouco comprimido lateralmente, nadadeira caudal escura e as restantes alaranjadas. Mancha escura junto ao opérculo. Boca com dentes pontiagudos dispostos em várias fileiras no maxilar superior. Pode alcançar 60Cm de comprimento e pesar 5 quilos.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde vivem em rios de águas claras, principalmente junto às pedras e troncos submersos, alimentando-se de frutos, sementes, insetos e pequenos peixes.

Equipamento

Varas médias, linhas 12 a 17Lb e anzóis 2 a 6/0 empatados em aço flexível o mais fino possível.

Iscas

Naturais: Insetos, minhocas, coração e fígado de boi cortado em tirinhas.
Artificiais: Plugs de superfície e meia água, colheres, spinners e flies.


Pirapitinga, Caranha

 
Nome Comum

Pirapitinga, Caranha.

Nome científico

Piaractus brachypomus.

Família

Characidae, de peixes com o corpo lateralmente deprimido e maxilar inferior proeminente.

Características

Corpo romboidal comprimido lateralmente com coloração cinza-arroxeado e ventre tendendo ao vermelho nos adultos e cinza claro com manchas alaranjadas nos jovens. Boca forte com dentes molariformes. Pode atingir 80Cm de comprimento e pesar 20Kg.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins, onde vivem nos rios durante as secas e nos lagos, lagoas e igapós, nas cheias quando são encontradas debaixo de árvores, se alimentando dos frutos que caem na água.

Equipamento

Varas medias/pesadas, Linhas 20 a 30Lb e anzóis curtos nº 4/0 a 7/0 empatados em aço flexível o mais fino e curto possível.

Iscas

Frutos e sementes do local, Minhocuçus.


Barbado

 
Nome Comum

Barbado, Piranambu, Mantopaque, Peixe moela

Nome científico

Pirinampus pirinampu

Família

Pimelodidae, de peixes siluriformes , desprovidos de escamas.

Características

Corpo alongado e pouco alto de coloração cinza-azulado e dorso com grande nadadeira adiposa tendendo para o castanho-esverdeado ao ser retirado d'água. Cabeça com boca pequena e barbilhões sensoriais achatados. Pode atingir 80cm de comprimento e pesar até 12kg.

Distribuição/ocorrência

Bacias Amazônica, do Prata e Araguaia -Tocantins, onde vive na beira dos rios. Piscívero por excelência é bastante voraz, atacando exemplares presos às redes.

Equipamento

Varas média ou média- pesada, linhas 20 a 25lb e anzóis 4/0 a 8/0.

Iscas

Naturais: Peixes inteiros ou em pedaços, Minhocuçus.


Desenhos: Lester Scalon
Texto:A.C.Cravo
Fonte:PNDPA










|    Contato     |     chat Sport Center     |    InfoPesca     |    Acesso Restrito    |

Galeria FOTOS | quem somos | Solicitar Orçamento



Sport Center Caça e Pesca Ltda - Todos os direitos Reservados